Suíno Preço Base
Cooper Central Aurora: R$ 3,60
Pamplona: R$ 3,60
BRF (Sadia/Perdigão): R$ 3,50
JBS Foods: R$ 3,40
+ Bonificação de Carcaça (Média da Bonificação 10%)

Ver Histórico

Bolsa de Suínos
Santa Catarina: R$ 4,86
São Paulo: R$ 5,33
Minas Gerais: R$ 5,60
Paraná: R$ 4,90

Ver Histórico

Mercado de Grãos - Santa Catarina
Milho: R$ 41,40 (Referência Copérdia)
Farelo de Soja: R$ 1,35

Ver Histórico

 
Links da Suinocultura
ABCS
ABPA
CANAL RURAL
CEPEA
CIDASC
CNA
EMBRAPA
FAESC SENAR/SC
FATMA
MAPA
MDIC
NOTÍCIAS AGRÍCOLAS
O PRESENTE RURAL
PÁGINA RURAL
PORKWORLD
SAFRAS & MERCADO
SEC. DA AGRICULTURA
SUINO.COM
SUINOCULTURA INDUSTRIAL
TERRA VIVA
 
ou data:
NOTÍCIAS DE MERCADO
13/05/2019 às 9h43
Com peste suína, exportação para China é recorde
Vendas para país asiático cresceram 42% em abril; na crise da gripe aviária, em 2005, Brasil virou maior produtor de frango do mundo
Compartilhe esta notícia:


Foto: Divulgação

A economia brasileira já começa a sentir os primeiros impactos da Peste Suína Africana (PSA), que desde agosto de 2018 obrigou a China a sacrificar entre 150 e 200 milhões de suínos e pode derrubar em 35% a produção de carne de porco do maior produtor e consumidor mundial dessa proteína. No mês passado, as exportações brasileiras de suínos para o gigante asiático atingiram US$ 35,8 milhões. Foi o maior valor mensal vendido para o país desde o início da série histórica, em 1997. O resultado está 42% acima do obtido com exportações em abril de 2018, aponta o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq).
 
“A China aumentou muito as importações de suínos e frangos porque a oferta de proteína está menor por causa da peste suína”, afirma a analista do Cepea, Maristela de Melo Martins. Desde fevereiro, a China passou a Arábia Saudita como o maior comprador de frango brasileiro. No mês passado, o país asiático se consolidou como o principal importador de suínos e de frangos, respondendo por 28% e 11,5%, respectivamente, das exportações brasileiras desses produtos.
 
Ainda não há projeções do impacto no aumento das exportações desses dois produtos, segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que reúne a cadeia de frangos e suínos. Para Francisco Turra, presidente da entidade, como o frango tem ciclo de produção bem mais curto, ele pode ajudar a suprir mais rapidamente a demanda por proteína. Cada chinês consome 40 quilos de suínos por ano.
 
As exportações brasileiras de suínos em 2018 somaram 646 mil toneladas e o País foi quarto maior em vendas externas, atrás da União Europeia, EUA e Canadá. Para este ano, a expectativa é que chegue a 900 mil toneladas. Mas há fatores que jogam contra a um aumento repentino da oferta brasileira.
 
Cria e engorda
 
O primeiro é próprio ciclo de produção de suínos, que é longo. O tempo entre a gestação de uma matriz e o primeiro filhote pronto para abate é de quase um ano. O segundo fator é que a China só compra produtos de frigoríficos habilitados. Atualmente apenas nove frigoríficos brasileiros são autorizados a exportar para lá.
 
“Essa é uma grande oportunidade para o Brasil porque a produção chinesa de suínos não deve ser recomposta antes de dois a três anos”, prevê Turra. Ele diz que, com a epidemia de gripe aviária em 2005, o Brasil se transformou no maior exportador de frangos do mundo. Na sua avaliação, pode ser a chance de o País repetir a história com os suínos, pois a produção brasileira tem custos competitivos.
 
Enquanto a peste suína se alastra pela China e outros países da Ásia, os suinocultores de Santa Catarina, o maior Estado produtor e exportador, aproveitam a alta de preços. Desde fevereiro, a remuneração para os produtores independentes, que não estão ligados a um frigorífico, subiram 33%. Já os produtores integrados, que estão vinculados a uma indústria de carnes, tiveram os preços reajustados em cerca de 20%, afirma o presidente da Associação Catarinense de Produtores de Suínos, Losivanio Luiz de Lorenzi.
 
“Estamos colhendo os frutos desse problema na China e acredito que, do próximo mês em diante, o preço vai estourar”, afirma Lorenzi. Ele representa 8 mil suinocultores do Estado.
 
Clair Lusa, dono da granja Suruvi, em Concórdia (SC), que fornece matrizes de suínos para os produtores, diz que nos dois últimos anos chegou a mandar mais da metade das matrizes reprodutoras para abate porque a demanda estava fraca e, desestimulados, suinocultores trabalhavam com animais velhos. “Eles não repunham o plantel”, afirma.
 
Agora, com a aquecimento das vendas de suínos, a granja suspendeu o abate de matrizes. Nos últimos 60 dias, a procura pelos animais cresceu entre 30% e 40% e o preço das matrizes subiu entre 20% e 30%. “A desgraça de uns é a salvação de outros”, diz Lusa, fazendo referência aos ganhos auferidos pelos produtores neste ano por conta da peste na China.
 
Outros lados

Já há também reflexo na inflação. O preço da carne suína no atacado, que subiu 17,09% este mês, segundo a Fundação Getulio Vargas.
 
O outro lado da moeda da crise na produção chinesa de suínos é a redução das exportação brasileira da soja em grão, usada na ração dos animais. A Abiove, que reúne a indústria de soja, projeta queda de US$ 2,1 bilhões na receita de exportação do grão para o país este ano.

Fonte: Estadão
 
Comentário
 
      Nenhum comentário para esta notícia!
Deixe seu Comentário para a notícia "Com peste suína, exportação para China é recorde"
(*) - Todos os campos são de preenchimento obrigatório.
Seu Nome*:
Seu E-mail*:
(o email não será publicado)
Cidade*:
Estado*:
Comentário*:
  500 caracteres restantes.
Eu li e aceito as regras de publicação de comentários. VER REGRAS

VEJA TAMBÉM - Outras Notícias da Categoria NOTÍCIAS DE MERCADO
14/06/2019 - Exportações de carne suína somam 13,4 mil toneladas
As exportações de carne suína in natura continuam com bom desempenho nesse início de junho. De acordo com os dados do Ministério...
14/06/2019 - Exportações de carne suína somam 13,4 mil toneladas
As exportações de carne suína in natura continuam com bom desempenho nesse início de junho. De acordo com os dados do Ministério...
13/06/2019 - ARTIGO | Liderança catarinense
A avicultura industrial brasileira nasceu em território barriga-verde e conquistou o mundo, é sinônimo de eficiência e qualidade...
13/06/2019 - Fusão da BRF com o Marfrig tem complexidades a serem avaliadas, diz Parente
O CEO e presidente do Conselho de Administração da BRF, Pedro Parente, disse que uma eventual fusão com a Marfrig tem que ser...
13/06/2019 - Genus continua avançando com sua iniciativa global de resistência à PRRS
A Genus plc, líder global em genética animal, anunciou no final do mês de maio que assinou um acordo de cooperação estratégica na...
11/06/2019 - Calma! Ainda sequer cobrimos os prejuízos
No momento em que estamos realinhando os preços do suíno vivo em patamares que possam oferecer algum tipo de remuneração...
11/06/2019 - Queda da produção de milho na China leva preço ao maior nível em 4 anos
A queda da produção de milho na China tem elevado os preços domésticos da commodity aos níveis mais altos dos últimos quatro anos....
11/06/2019 - Exportações de carne suína somam 13,4 mil toneladas
As exportações de carne suína in natura continuam com bom desempenho nesse início de junho. De acordo com os dados do Ministério...
10/06/2019 - Suíno vivo em valorização; em MG chega a R$ 5,30
O forte crescimento das exportações brasileiras de carne suína nos cinco primeiros meses de 2019, da ordem de 20% sobre o mesmo...
10/06/2019 - Feagro encerra mais uma edição de sucesso
A 15º edição da Feira e Exposição Agropecuária do Vale do Braço do Norte e Região, a Feagro, encerrou na noite de ontem, 15, e...
 
 
Rua do Comércio, nº 655
Centro, Concórdia / SC
CEP: 89700-089
Diretoria
Granjas de Material Genético
50 anos de ACCS
55 anos de ACCS
Relatórios Anuais
Frente Parlamentar
Núcleos e Associações
50 anos ACCS
55 anos ACCS
Rádio ACCS
TV ACCS
Notícias
Links da Suinocultura
Receitas
Newsletter
Agenda de Eventos
Previsão do Tempo
Galeria de Fotos
© - Ideia Good - Soluções para Internet