Suíno Preço Base
Cooper Central Aurora: R$ 2,90
Pamplona: R$ 2,90
BRF (Sadia/Perdigão): R$ 3,00
JBS Foods: R$ 2,90
+ Bonificação de Carcaça (Média da Bonificação 10%)

Ver Histórico

Bolsa de Suínos
Santa Catarina: R$ 3,82
São Paulo: R$ 4,16
Minas Gerais: R$ 4,00
Paraná: R$ 3,90

Ver Histórico

Mercado de Grãos - Santa Catarina
Milho: R$ 42,10 (Referência Copérdia)
Farelo de Soja: R$ 1,45

Ver Histórico

 
Links da Suinocultura
ABCS
ABPA
CANAL RURAL
CEPEA
CIDASC
CNA
EMBRAPA
FAESC SENAR/SC
FATMA
MAPA
MDIC
NOTÍCIAS AGRÍCOLAS
O PRESENTE RURAL
PÁGINA RURAL
PORKWORLD
SAFRAS & MERCADO
SEC. DA AGRICULTURA
SUINO.COM
SUINOCULTURA INDUSTRIAL
TERRA VIVA
 
ou data:
NOTÍCIAS DE MERCADO
04/04/2018 às 8h24
Atualizada em 04/04/2018 - 08h26
Congresso derruba veto a parcelamento de dívidas de micro e pequenas empresas
Parlamentares também derrubaram vetos parciais a projetos sobre agentes de saúde e o Refis Rural
Compartilhe esta notícia:


Foto: Câmara dos Deputados

O Congresso Nacional derrubou, nesta terça-feira (3), três vetos a projetos de lei que passarão a ter vigência após a promulgação. Um deles é o Projeto de Lei Complementar (PLP) 171/15, do deputado Geraldo Resende (PSDB-MS), conhecido como Refis das micro e pequenas empresas. Como se trata de um veto total, o texto será publicado como nova lei.
 
Também foram derrubados os vetos parciais ao PL 6437/16, que reformula parâmetros de remuneração e atribuições dos agentes comunitários de saúde e de combate a endemias; e ao PL 9206/17, que institui o Programa de Regularização Tributária Rural (PRR).
 
O projeto sobre o Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pert-SN) foi aprovado pela Câmara dos Deputados em dezembro de 2017 e vetado em janeiro de 2018.
 
No veto, o governo argumentou que, por ser o Simples Nacional um regime de tributação diferenciado, com alíquotas menores, não caberia o parcelamento com a consequente exclusão do empresário em dívida. O Ministério da Fazenda também disse que o parcelamento iria contra a emenda constitucional do teto de gastos.
 
Entretanto, após negociações no decorrer dos primeiros meses do ano, o próprio governo passou a defender a derrubada do veto, sem especificar como lidará com o impacto orçamentário, previsto para o próximo ano.
 
Pagamento alongado
 
De acordo com o substitutivo do deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), o parcelamento valerá para débitos vencidos até a competência de novembro de 2017, aplicando-se inclusive para aqueles parcelados inicialmente pela Lei Complementar 123/06 e pela Lei Complementar 155/16, que reformulou regras do regime e permitiu parcelamento em 120 meses.
 
As empresas devedoras terão de pagar 5% do valor da dívida consolidada, sem reduções, em até cinco parcelas mensais e sucessivas.
 
O restante poderá ser pago com descontos de 100% dos encargos legais e honorários advocatícios da seguinte forma:
 
- integralmente, com redução de 90% dos juros de mora e de 70% das multas;
- parcelado em 145 meses, com redução de 80% dos juros de mora e de 50% das multas; ou
- parcelado em 175 meses, com redução de 50% dos juros de mora e de 25% das multas.
 
O valor mínimo das prestações será de R$ 300, exceto para os microempreendedores individuais (MEI), cujo valor será estipulado pelo Conselho Gestor do Simples Nacional (CGSN).
 
Agentes comunitários
 
Quanto ao projeto sobre atribuições dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias (PL 6437/16), do deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE), serão incorporados à Lei 13.595/18 vários itens.
 
Pouco antes da votação, porém, um acordo do governo com a categoria manteve três itens vetados. Um deles estipulava que, das 40 horas semanais de carga horária, 10 horas poderiam ser usadas para atividades de planejamento e avaliação de ações, detalhamento das atividades, registro de dados e formação e aprimoramento técnico.
 
Foi mantido ainda veto a dispositivo que previa a atuação da Defensoria Pública e do Ministério Público no sentido de assegurar a regularização do vínculo direto entre os agentes e órgão ou entidade da administração.
 
Entre os pontos restabelecidos com a derrubada dos vetos está a concessão de indenização de transporte por despesas com locomoção, conforme regulamento.
 
A garantia de que os agentes deverão frequentar cursos bienais de educação continuada e de aperfeiçoamento é outro ponto restaurado pelos parlamentares.
 
Além disso, diversas atividades listadas no projeto são restabelecidas como típicas dos agentes de saúde e/ou dos agentes de combate a endemias, sejam elas no âmbito da assistência multiprofissional em saúde da família, em mobilizações sociais por meio da Educação Popular em Saúde ou no âmbito da vigilância epidemiológica.
 
Nesse tópico, o governo argumentara que os vetos eram necessários para evitar a impressão de que algumas atividades seriam de competência privativa, “o que não seria adequado”.

Fonte: Câmara dos Deputados
 
Comentário
 
      Nenhum comentário para esta notícia!
Deixe seu Comentário para a notícia "Congresso derruba veto a parcelamento de dívidas de micro e pequenas empresas"
(*) - Todos os campos são de preenchimento obrigatório.
Seu Nome*:
Seu E-mail*:
(o email não será publicado)
Cidade*:
Estado*:
Comentário*:
  500 caracteres restantes.
Eu li e aceito as regras de publicação de comentários. VER REGRAS

VEJA TAMBÉM - Outras Notícias da Categoria NOTÍCIAS DE MERCADO
18/12/2018 - Quem é Ricardo de Gouvêa, o novo secretário de agricultura de SC
Ricardo de Gouvea, além de experiente Diretor Executivo do Sindicarne, é fundador do Instituto Catarinense de Sanidade Agropecária...
14/12/2018 - Produção de aves e de suínos será menor neste ano, aponta a ABPA
O Brasil deverá encerrar o ano com produção de aves e de suínos mais ajustada, projeta a Associação Brasileira de Proteína Animal...
13/12/2018 - PIB do agronegócio do Brasil deve crescer 2% em 2019, prevê CNA
O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro deverá crescer 2 por cento em 2019 em relação ao ano anterior, após uma...
12/12/2018 - Cadastro de Empregador Rural deve ser substituído pelo CAEPF
O Cadastro de Empregador Rural, o chamado “CEI”, deverá ser substituído pelo Cadastro de Atividade Econômica da Pessoa...
12/12/2018 - Suinocultura encerra 2018 conturbado com perspectivas otimistas para novo ano
Os suinocultores acenderam seus sinais de alerta com as reviravoltas da atividade em 2018. Em um ano marcado por solavancos no...
12/12/2018 - Brasil embarca 12,4 mil toneladas de carne suína na primeira semana de dezembro
As exportações de carne suína chegaram a 12,4 mil toneladas embarcadas na primeira semana de dezembro, o que representou US$ 23,8...
11/12/2018 - Bolsonaro indica ex-secretário de Alckmin para comandar Ministério do Meio Ambiente
O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), anunciou o ex-secretário estadual do Meio Ambiente de São Paulo Ricardo de Aquino...
10/12/2018 - Valdir Colatto será secretário do Mapa na gestão de Tereza Cristina
O deputado federal Valdir Colatto (MDB-SC) deve ser um dos secretários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento...
1 Comentário
07/12/2018 - ASSISTA | Veja a verdade sobre o Funrural
07/12/2018 - Santa Catarina aumenta em 36,9% as exportações de carnes em novembro
Santa Catarina encerra o mês de novembro com alta nas exportações de carne suína e de frango. Boa parte dos embarques foi...
 
 
Rua do Comércio, nº 655
Centro, Concórdia / SC
CEP: 89700-089
Diretoria
Granjas de Material Genético
50 anos de ACCS
55 anos de ACCS
Relatórios Anuais
Frente Parlamentar
Núcleos e Associações
50 anos ACCS
55 anos ACCS
Rádio ACCS
TV ACCS
Notícias
Links da Suinocultura
Receitas
Newsletter
Agenda de Eventos
Previsão do Tempo
Galeria de Fotos
© - Ideia Good - Soluções para Internet