Suíno Preço Base
Cooper Central Aurora: R$ 3,50
Pamplona: R$ 3,40
BRF (Sadia/Perdigão): R$ 3,40
JBS Foods: R$ 3,40
+ Bonificação de Carcaça (Média da Bonificação 10%)

Ver Histórico

Bolsa de Suínos
Santa Catarina: R$ 4,41
São Paulo: R$ 4,69
Minas Gerais: R$ 4,70
Paraná: R$ 4,30

Ver Histórico

Mercado de Grãos - Santa Catarina
Milho: R$ 38,40 (Referência Copérdia)
Farelo de Soja: R$ 1,35

Ver Histórico

 
Links da Suinocultura
ABCS
ABPA
CANAL RURAL
CEPEA
CIDASC
CNA
EMBRAPA
FAESC SENAR/SC
FATMA
MAPA
MDIC
NOTÍCIAS AGRÍCOLAS
O PRESENTE RURAL
PÁGINA RURAL
PORKWORLD
SAFRAS & MERCADO
SEC. DA AGRICULTURA
SUINO.COM
SUINOCULTURA INDUSTRIAL
TERRA VIVA
 
ou data:
NOTÍCIAS DE MERCADO
13/05/2019 às 9h43
Com peste suína, exportação para China é recorde
Vendas para país asiático cresceram 42% em abril; na crise da gripe aviária, em 2005, Brasil virou maior produtor de frango do mundo
Compartilhe esta notícia:


Foto: Divulgação

A economia brasileira já começa a sentir os primeiros impactos da Peste Suína Africana (PSA), que desde agosto de 2018 obrigou a China a sacrificar entre 150 e 200 milhões de suínos e pode derrubar em 35% a produção de carne de porco do maior produtor e consumidor mundial dessa proteína. No mês passado, as exportações brasileiras de suínos para o gigante asiático atingiram US$ 35,8 milhões. Foi o maior valor mensal vendido para o país desde o início da série histórica, em 1997. O resultado está 42% acima do obtido com exportações em abril de 2018, aponta o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq).
 
“A China aumentou muito as importações de suínos e frangos porque a oferta de proteína está menor por causa da peste suína”, afirma a analista do Cepea, Maristela de Melo Martins. Desde fevereiro, a China passou a Arábia Saudita como o maior comprador de frango brasileiro. No mês passado, o país asiático se consolidou como o principal importador de suínos e de frangos, respondendo por 28% e 11,5%, respectivamente, das exportações brasileiras desses produtos.
 
Ainda não há projeções do impacto no aumento das exportações desses dois produtos, segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que reúne a cadeia de frangos e suínos. Para Francisco Turra, presidente da entidade, como o frango tem ciclo de produção bem mais curto, ele pode ajudar a suprir mais rapidamente a demanda por proteína. Cada chinês consome 40 quilos de suínos por ano.
 
As exportações brasileiras de suínos em 2018 somaram 646 mil toneladas e o País foi quarto maior em vendas externas, atrás da União Europeia, EUA e Canadá. Para este ano, a expectativa é que chegue a 900 mil toneladas. Mas há fatores que jogam contra a um aumento repentino da oferta brasileira.
 
Cria e engorda
 
O primeiro é próprio ciclo de produção de suínos, que é longo. O tempo entre a gestação de uma matriz e o primeiro filhote pronto para abate é de quase um ano. O segundo fator é que a China só compra produtos de frigoríficos habilitados. Atualmente apenas nove frigoríficos brasileiros são autorizados a exportar para lá.
 
“Essa é uma grande oportunidade para o Brasil porque a produção chinesa de suínos não deve ser recomposta antes de dois a três anos”, prevê Turra. Ele diz que, com a epidemia de gripe aviária em 2005, o Brasil se transformou no maior exportador de frangos do mundo. Na sua avaliação, pode ser a chance de o País repetir a história com os suínos, pois a produção brasileira tem custos competitivos.
 
Enquanto a peste suína se alastra pela China e outros países da Ásia, os suinocultores de Santa Catarina, o maior Estado produtor e exportador, aproveitam a alta de preços. Desde fevereiro, a remuneração para os produtores independentes, que não estão ligados a um frigorífico, subiram 33%. Já os produtores integrados, que estão vinculados a uma indústria de carnes, tiveram os preços reajustados em cerca de 20%, afirma o presidente da Associação Catarinense de Produtores de Suínos, Losivanio Luiz de Lorenzi.
 
“Estamos colhendo os frutos desse problema na China e acredito que, do próximo mês em diante, o preço vai estourar”, afirma Lorenzi. Ele representa 8 mil suinocultores do Estado.
 
Clair Lusa, dono da granja Suruvi, em Concórdia (SC), que fornece matrizes de suínos para os produtores, diz que nos dois últimos anos chegou a mandar mais da metade das matrizes reprodutoras para abate porque a demanda estava fraca e, desestimulados, suinocultores trabalhavam com animais velhos. “Eles não repunham o plantel”, afirma.
 
Agora, com a aquecimento das vendas de suínos, a granja suspendeu o abate de matrizes. Nos últimos 60 dias, a procura pelos animais cresceu entre 30% e 40% e o preço das matrizes subiu entre 20% e 30%. “A desgraça de uns é a salvação de outros”, diz Lusa, fazendo referência aos ganhos auferidos pelos produtores neste ano por conta da peste na China.
 
Outros lados

Já há também reflexo na inflação. O preço da carne suína no atacado, que subiu 17,09% este mês, segundo a Fundação Getulio Vargas.
 
O outro lado da moeda da crise na produção chinesa de suínos é a redução das exportação brasileira da soja em grão, usada na ração dos animais. A Abiove, que reúne a indústria de soja, projeta queda de US$ 2,1 bilhões na receita de exportação do grão para o país este ano.

Fonte: Estadão
 
Comentário
 
      Nenhum comentário para esta notícia!
Deixe seu Comentário para a notícia "Com peste suína, exportação para China é recorde"
(*) - Todos os campos são de preenchimento obrigatório.
Seu Nome*:
Seu E-mail*:
(o email não será publicado)
Cidade*:
Estado*:
Comentário*:
  500 caracteres restantes.
Eu li e aceito as regras de publicação de comentários. VER REGRAS

VEJA TAMBÉM - Outras Notícias da Categoria NOTÍCIAS DE MERCADO
23/05/2019 - Soja: Preços no BR sobem mais de R$ 5 nos últimos 20 dias, mas ainda enfrentam obstáculos
Nos últimos 20 dias - de 2 a 21 de maio - os preços da soja subiram de forma considerável no mercado brasileiro, com altas de até...
23/05/2019 - Exportações de carne suína crescem em maio
Até a terceira semana de maio as exportações de carne suína in natura somaram 38,7 mil toneladas, o que representa um montante de...
21/05/2019 - Comitiva de argentinos e paraguaios visita a ACCS
Uma comitiva de lideranças políticas, empresariais e produtores da Argentina e Paraguai estão visitando Concórdia, no Oeste...
21/05/2019 - Exportações do agronegócio crescem 7,7% em 2019
O agronegócio responde por 63,7% das exportações catarinenses em 2019. O setor fatura alto, conquista novos mercados e apresenta...
20/05/2019 - Custos de produção de suínos e de frangos de corte caem 2% em abril
Os custos de produção de suínos e de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa...
14/05/2019 - Peste Suína Africana chega a Hong Kong
Hong Kong registrou seu primeiro surto de Peste Suína Africana em um abatedouro próximo a fronteira com a China. Seis mil animais...
13/05/2019 - Situação da Peste Suína na China é calamitosa, alerta Marcos Yank
A China, país que produz e consome mais da metade da carne suína mundial, vem sendo devastada por uma grave epidemia de peste...
10/05/2019 - Empresa que recolhe animais mortos em propriedades rurais do Oeste de SC interrompe serviços
09/05/2019 - Arrancada da JBS eleva seu valor para R$ 55 bi
A JBS nunca valeu tanto na bolsa - mais de R$ 55 bilhões ontem. Nos últimos 12 meses, nenhuma companhia do Ibovespa se valorizou...
09/05/2019 - Exportações de carne suína crescem 44,3% em abril
As exportações brasileiras de carne suína (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 58,1 mil...
 
 
Rua do Comércio, nº 655
Centro, Concórdia / SC
CEP: 89700-089
Diretoria
Granjas de Material Genético
50 anos de ACCS
55 anos de ACCS
Relatórios Anuais
Frente Parlamentar
Núcleos e Associações
50 anos ACCS
55 anos ACCS
Rádio ACCS
TV ACCS
Notícias
Links da Suinocultura
Receitas
Newsletter
Agenda de Eventos
Previsão do Tempo
Galeria de Fotos
© - Ideia Good - Soluções para Internet