Suíno Preço Base
Cooper Central Aurora: R$ 3,80
Pamplona: R$ 3,80
BRF (Sadia/Perdigão): R$ 3,70
JBS Foods: R$ 3,70
+ Bonificação de Carcaça (Média da Bonificação 10%)

Ver Histórico

Bolsa de Suínos
Santa Catarina: R$ 4,57
São Paulo: R$ 5,07
Minas Gerais: R$ 5,30
Paraná: R$ 5,08

Ver Histórico

Mercado de Grãos - Santa Catarina
Milho: R$ 41,40 (Referência Copérdia)
Farelo de Soja: R$ 1,35

Ver Histórico

 
Links da Suinocultura
ABCS
ABPA
CANAL RURAL
CEPEA
CIDASC
CNA
EMBRAPA
FAESC SENAR/SC
FATMA
MAPA
MDIC
NOTÍCIAS AGRÍCOLAS
O PRESENTE RURAL
PÁGINA RURAL
PORKWORLD
SAFRAS & MERCADO
SEC. DA AGRICULTURA
SUINO.COM
SUINOCULTURA INDUSTRIAL
TERRA VIVA
 
ou data:
NOTÍCIAS DE MERCADO
01/07/2019 às 8h3
Taxa de febre suína na China pode ser duas vezes maior do que a relatada
Especialistas do setor estimam perdas de 40% a 50% do rebanho total de suínos do país asiático
Compartilhe esta notícia:



Até metade dos porcos reprodutores da China morreram de peste suína africana ou foram abatidos devido à disseminação da doença, o dobro do oficialmente reconhecido, de acordo com as estimativas de quatro pessoas que abastecem grandes fazendas.

Enquanto outras estimativas são mais conservadoras, a queda no número de porcas está prestes a deixar um grande buraco na oferta da carne favorita do país, elevando os preços dos alimentos e devastando os meios de subsistência em uma economia rural que inclui 40 milhões de suinocultores.

"Algo como 50 por cento das porcas estão mortas", disse Edgar Wayne Johnson, um veterinário que passou 14 anos na China e fundou a Enable Agricultural Technology Consulting, uma empresa de serviços agrícolas com sede em Pequim e clientes em todo o país.

Três outros executivos de produtores de vacinas, aditivos alimentares e genética também estimam perdas de 40% a 50%, com base na queda nas vendas dos produtos de suas empresas e no conhecimento direto da extensão da doença mortal em fazendas em todo o país.

As perdas não são apenas de suínos infectados que morrem ou são sacrificados, mas também de fazendeiros que enviam porcos para o mercado quando a doença é descoberta nas proximidades, disseram fazendeiros e membros do setor à Reuters, que segundo analistas mantém os preços da carne suína nos últimos meses.

No entanto, os preços começaram a subir substancialmente este mês, e o Ministério da Agricultura da China disse que poderá aumentar em 70% nos próximos meses em conseqüência do surto. A carne suína representa mais de 60% do consumo de carne chinesa.

A China, que produz metade da carne suína do mundo, disse neste mês que seu rebanho caiu 23,9% em maio ante o ano anterior, uma queda ligeiramente mais profunda do que no rebanho geral de suínos.

Porcas, ou fêmeas adultas criadas para produzir leitões para abate, representam cerca de um em cada 10 porcos na China. Um declínio no rebanho de porcas geralmente equivale a uma queda similar na produção de suínos, dizem especialistas do setor.

O Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais não respondeu a um fax em busca de comentários sobre alegações de perdas muito maiores do que as divulgadas oficialmente. Segundo a agência de notícias estatal Xinhua, a doença foi "controlada com eficácia" em 24 de junho.

O banco holandês de crédito agrícola Rabobank disse em abril que as perdas na produção de carne suína do surto de peste suína africana na China podem chegar a 35%. A empresa está revisando esse número mais alto para explicar o abate generalizado nos últimos meses, disse à Reuters Chen Chenun, analista sênior.

A peste suína africana, para a qual não existe cura nem vacina, mata quase todos os porcos infectados, embora não cause danos às pessoas. Desde o primeiro caso relatado da China em agosto passado - o vírus é semelhante à cepa encontrada nos últimos anos na Rússia, Geórgia e Estônia - ele se espalhou para todas as províncias e além das fronteiras da China, apesar das medidas tomadas por Pequim para conter seu avanço.

O governo relatou 137 surtos até agora, mas muitos mais não serão registrados, mais recentemente em províncias do sul, como Guangdong, Guangxi e Hunan, segundo quatro fazendeiros e um funcionário recentemente entrevistado pela Reuters.

A natureza vasta e fragmentada do setor agrícola da China, uma burocracia secreta e o que é amplamente acreditado pelos especialistas da indústria como má qualidade dos dados chineses, torna impossível determinar a extensão total da doença.

"Quase todos os porcos daqui morreram", disse um fazendeiro no condado de Bobai, na região sudoeste de Guangxi, na China. Guangxi produziu mais de 33 milhões de suínos em 2017 e é um importante fornecedor para o sul da China.

"Não nos foi permitido relatar a doença dos porcos", disse ela à Reuters, recusando-se a revelar seu nome por causa da sensibilidade do assunto, acrescentando que as autoridades detiveram fazendeiros por "espalhar rumores" sobre a doença. A Reuters não conseguiu verificar isso.

As autoridades da cidade de Yulin, que supervisiona o condado de Bobai, confirmaram um surto da doença em um porco em 27 de maio. Foi apenas o segundo a ser relatado na região após um caso na cidade de Beihai em 19 de fevereiro.

O departamento de agricultura e assuntos rurais da região de Guangxi não respondeu a um fax em busca de comentários.

A Reuters também falou aos agricultores nas cidades de Zhongshan, Foshan e Maoming, na vizinha província de Guangdong, que perderam centenas ou milhares de porcos para a doença nos últimos três meses. Nenhum surto foi oficialmente relatado nessas cidades. Nenhum dos agricultores concordou em ser identificado.

Os departamentos de agricultura das províncias de Guangdong e Hunan não responderam aos faxes em busca de comentários.

A China tinha 375 milhões de suínos no final de março, 10% a menos do que no mesmo período do ano passado, de acordo com o National Bureau of Statistics (NBS). Ela teve 38 milhões de matrizes, um declínio de 11% no ano, disse a NBS.

Numerosos fornecedores do setor disseram acreditar que o declínio real é muito pior.

Dick Hordijk, executivo-chefe da cooperativa holandesa Royal Agrifirm, disse à emissora holandesa BNR no mês passado que os lucros de sua empresa na China seriam aniquilados pela doença, que está se espalhando como "uma mancha de óleo".

"Cem por cento do nosso negócio foi focado em porcos, metade do que agora se foi", disse ele. "Isso é um desastre para os agricultores e os animais." A empresa produz pré-misturas, ou misturas de vitaminas e outros nutrientes, em duas fábricas na China, e as vende para cerca de 100 grandes produtores de suínos na China para uso em rações.

Stephan Lange, vice-presidente de saúde animal na China da Boehringer Ingelheim, empresa farmacêutica de capital fechado, que fabrica vacinas, e Johnson, veterinário com sede em Pequim, disseram que as perdas foram superiores a 50% nos bolsos do país.

Fonte: Reuters
 
Comentário
 
      Nenhum comentário para esta notícia!
Deixe seu Comentário para a notícia "Taxa de febre suína na China pode ser duas vezes maior do que a relatada"
(*) - Todos os campos são de preenchimento obrigatório.
Seu Nome*:
Seu E-mail*:
(o email não será publicado)
Cidade*:
Estado*:
Comentário*:
  500 caracteres restantes.
Eu li e aceito as regras de publicação de comentários. VER REGRAS

VEJA TAMBÉM - Outras Notícias da Categoria NOTÍCIAS DE MERCADO
23/07/2019 - Rádio Rural | 60 anos da ACCS
22/07/2019 - FAO notifica mais seis casos de peste suína africana na Ásia
A divisão da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) informou que seis novos focos da peste suína...
19/07/2019 - Em busca de ajuste, preços do suíno vivo recuam
Os preços do suíno vivo tiveram queda, nos últimos dias, de acordo com as associações regionais. A retração atingiu praticamente...
18/07/2019 - China admite falha no combate a Peste Suína Africana
A China mostrou deficiências em alguns aspectos da prevenção da peste suína africana, e a situação continua complicada e grave,...
17/07/2019 - Custos de produção de suínos e de frangos de corte disparam em junho
Os gastos com a nutrição de suínos e frangos de corte fizeram os custos de produção terem um aumento significativo em junho...
16/07/2019 - Valor da Produção Agropecuária é estimado em R$ 602,8 bilhões em 2019
O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) estimado para 2019, com base nas informações de junho, é de R$ 602,8 bilhões, com...
16/07/2019 - Santa Catarina encerra o primeiro semestre com alta de 56% nas exportações de carnes
Maior produtor nacional de suínos e segundo maior produtor de aves do Brasil, Santa Catarina fecha o primeiro semestre com...
15/07/2019 - Suinocultores ficam aliviados após BRF e Marfrig desistirem de fusão
A BRF e a Marfrig anunciaram na quinta-feira, dia 11, que desistiram da fusão, anunciada há cerca de 40 dias. O motivo, segundo...
10/07/2019 - Brasil e Paraguai fecham acordo para fortalecer controle sanitário na fronteira
Brasil e Paraguai firmaram nesta terça-feira (9) um memorando de entendimento sobre temas na área sanitária animal e vegetal. O...
10/07/2019 - Mapa divulga tarifas e cotas com novo acordo
Com o acordo Mercosul-União Europeia, cerca de 99% das exportações agrícolas brasileiras terão as tarifas eliminadas (zeradas) ou...
 
 
Rua do Comércio, nº 655
Centro, Concórdia / SC
CEP: 89700-089
Diretoria
Granjas de Material Genético
50 anos de ACCS
55 anos de ACCS
Relatórios Anuais
Frente Parlamentar
Núcleos e Associações
50 anos ACCS
55 anos ACCS
Rádio ACCS
TV ACCS
Notícias
Links da Suinocultura
Receitas
Newsletter
Agenda de Eventos
Previsão do Tempo
Galeria de Fotos
© - Ideia Good - Soluções para Internet