Suíno Preço Base
Cooper Central Aurora: R$ 3,80
Pamplona: R$ 3,80
BRF (Sadia/Perdigão): R$ 3,70
JBS Foods: R$ 3,70
+ Bonificação de Carcaça (Média da Bonificação 10%)

Ver Histórico

Bolsa de Suínos
Santa Catarina: R$ 4,57
São Paulo: R$ 5,07
Minas Gerais: R$ 5,30
Paraná: R$ 5,08

Ver Histórico

Mercado de Grãos - Santa Catarina
Milho: R$ 41,40 (Referência Copérdia)
Farelo de Soja: R$ 1,35

Ver Histórico

 
Links da Suinocultura
ABCS
ABPA
CANAL RURAL
CEPEA
CIDASC
CNA
EMBRAPA
FAESC SENAR/SC
FATMA
MAPA
MDIC
NOTÍCIAS AGRÍCOLAS
O PRESENTE RURAL
PÁGINA RURAL
PORKWORLD
SAFRAS & MERCADO
SEC. DA AGRICULTURA
SUINO.COM
SUINOCULTURA INDUSTRIAL
TERRA VIVA
 
ou data:
NOTÍCIAS DE MERCADO
02/07/2019 às 8h41
Atualizada em 02/07/2019 - 08h49
Setor produtivo de Santa Catarina trata do controle e monitoramento da saúde animal
Segundo o secretário de Estado da Agricultura, Ricardo de Gouvêa, a união de esforços entre o Governo do Estado, Governo Federal, produtores rurais e iniciativa privada é a chave para manutenção desse patrimônio.
Compartilhe esta notícia:



O mundo está em alerta devido à ocorrência de doenças que podem colocar em risco a produção animal. Este foi o tema da reunião da Câmara de Desenvolvimento da Agroindústria da FIESC, na quinta-feira (27) em Florianópolis, com a participação de representantes da Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Cidasc, Ministério da Agricultura e iniciativa privada. A intenção do encontro foi tratar das ações de controle e monitoramento de doenças como peste suína clássica, peste suína africana e febre aftosa.

A reunião da Câmara da Agroindústria foi aberta com a palestra da professora titular sênior de Epidemiologia das Doenças Infecciosas da Universidade de São Paulo (USP), Masaio Mizuno Ishizuka, que trouxe um panorama das principais enfermidades da suinocultura mundial, suas particularidades e riscos de contágio. “Não existe risco zero, as doenças não respeitam limites de fronteiras. Nosso trabalho é raciocinar, utilizar as experiências do passado para resolver os problemas contemporâneos. Devemos trabalhar com dados, com medidas que impeçam a entrada de doenças e medidas de contingência”, ressaltou.



A professora Masaio destacou ainda a excelência do trabalho de defesa agropecuária desenvolvido em Santa Catarina, segundo ela uma referência para outros estados. “Todos deveriam imitar Santa Catarina. Aqui os setores do agronegócio trabalham de forma alinhada e dividem as responsabilidades”. Entre os pontos tratados na palestra, mereceram destaque os casos de peste suína clássica no Piauí e Ceará, além da situação na Ásia com os focos de peste suína africana – que, segundo relatório divulgado em junho pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), já levou à eliminação de 3,4 milhões de suínos em diversos países desse continente.

Segundo o secretário de Estado da Agricultura, Ricardo de Gouvêa, a união de esforços entre o Governo do Estado, Governo Federal, produtores rurais e iniciativa privada é a chave para manutenção desse patrimônio. “Não se faz defesa agropecuária sozinho. Devemos somar esforços e trabalhar juntos para que Santa Catarina continue sendo uma referência no cuidado com a saúde animal e sanidade vegetal. Estamos atentos e mobilizados para evitar a entrada de qualquer doença em nossos rebanhos e lavouras, preservando também a saúde dos nossos produtores rurais e consumidores. Além da economia de todo o estado, já que o agronegócio responde por 30% do PIB catarinense”, destacou.

Na oportunidade, a diretora técnica da Cidasc, Priscila Maciel, e os representantes Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Felipe da Costa Porto e Marcio Pinto Ferreira, apresentaram os planos de contingência de Santa Catarina e do país.

Saúde animal em Santa Catarina

Santa Catarina é o único estado do Brasil reconhecido como área livre de febre aftosa sem vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e, junto com o Rio Grande do Sul, é zona livre de peste suína clássica. O status sanitário diferenciado é um dos fatores que faz do estado um gigante do agronegócio, com acesso aos mercados mais exigentes do mundo, como Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul.

“A sanidade animal é uma riqueza e tem grande valor para Santa Catarina. Não podemos medir esforços para preservar essa condição e manter o protagonismo no agronegócio brasileiro”, afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina, Mario Cezar de Aguiar.

Manutenção do status sanitário

A Cidasc mantém 63 barreiras sanitárias fixas nas divisas com Paraná, Rio Grande do Sul e Argentina que controlam a entrada e a saída de animais e produtos agropecuários. Além do controle do trânsito de animais e produtos de origem animal nas fronteiras, em Santa Catarina todos os bovinos e bubalinos são identificados e rastreados.

Já que é proibido o uso de vacina contra febre aftosa em todo o território catarinense, não é permitida a entrada de bovinos provenientes de outros estados. Para que os produtores tragam ovinos, caprinos e suínos criados fora de Santa Catarina é necessário que os animais passem por quarentena tanto na origem quanto no destino e que façam testes para a febre aftosa, exceto quando destinados a abatedouros sob inspeção para abate imediato.

O Governo do Estado mantém ainda um sistema permanente de vigilância para demonstrar a ausência do vírus de febre aftosa em Santa Catarina. Continuamente, a Cidasc realiza inspeções clínicas e estudos sorológicos nos rebanhos, além de dispor de uma estrutura de alerta para a investigação de qualquer suspeita que venha a ser notificada pelos produtores ou por qualquer cidadão. A iniciativa privada também é uma grande parceira nesse processo, por meio do Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (Icasa).

Fonte: Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural
 
Comentário
 
      Nenhum comentário para esta notícia!
Deixe seu Comentário para a notícia "Setor produtivo de Santa Catarina trata do controle e monitoramento da saúde animal"
(*) - Todos os campos são de preenchimento obrigatório.
Seu Nome*:
Seu E-mail*:
(o email não será publicado)
Cidade*:
Estado*:
Comentário*:
  500 caracteres restantes.
Eu li e aceito as regras de publicação de comentários. VER REGRAS

VEJA TAMBÉM - Outras Notícias da Categoria NOTÍCIAS DE MERCADO
23/07/2019 - Rádio Rural | 60 anos da ACCS
22/07/2019 - FAO notifica mais seis casos de peste suína africana na Ásia
A divisão da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) informou que seis novos focos da peste suína...
19/07/2019 - Em busca de ajuste, preços do suíno vivo recuam
Os preços do suíno vivo tiveram queda, nos últimos dias, de acordo com as associações regionais. A retração atingiu praticamente...
18/07/2019 - China admite falha no combate a Peste Suína Africana
A China mostrou deficiências em alguns aspectos da prevenção da peste suína africana, e a situação continua complicada e grave,...
17/07/2019 - Custos de produção de suínos e de frangos de corte disparam em junho
Os gastos com a nutrição de suínos e frangos de corte fizeram os custos de produção terem um aumento significativo em junho...
16/07/2019 - Valor da Produção Agropecuária é estimado em R$ 602,8 bilhões em 2019
O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) estimado para 2019, com base nas informações de junho, é de R$ 602,8 bilhões, com...
16/07/2019 - Santa Catarina encerra o primeiro semestre com alta de 56% nas exportações de carnes
Maior produtor nacional de suínos e segundo maior produtor de aves do Brasil, Santa Catarina fecha o primeiro semestre com...
15/07/2019 - Suinocultores ficam aliviados após BRF e Marfrig desistirem de fusão
A BRF e a Marfrig anunciaram na quinta-feira, dia 11, que desistiram da fusão, anunciada há cerca de 40 dias. O motivo, segundo...
10/07/2019 - Brasil e Paraguai fecham acordo para fortalecer controle sanitário na fronteira
Brasil e Paraguai firmaram nesta terça-feira (9) um memorando de entendimento sobre temas na área sanitária animal e vegetal. O...
10/07/2019 - Mapa divulga tarifas e cotas com novo acordo
Com o acordo Mercosul-União Europeia, cerca de 99% das exportações agrícolas brasileiras terão as tarifas eliminadas (zeradas) ou...
 
 
Rua do Comércio, nº 655
Centro, Concórdia / SC
CEP: 89700-089
Diretoria
Granjas de Material Genético
50 anos de ACCS
55 anos de ACCS
Relatórios Anuais
Frente Parlamentar
Núcleos e Associações
50 anos ACCS
55 anos ACCS
Rádio ACCS
TV ACCS
Notícias
Links da Suinocultura
Receitas
Newsletter
Agenda de Eventos
Previsão do Tempo
Galeria de Fotos
© - Ideia Good - Soluções para Internet