Notícia
16/04/2019 - 8 hrs
 
Ministério prevê valor da produção agropecuária do país de R$ 588,8 bi
 
Melhores cenários traçados para milho, cana, algodão e frango, entre outros produtos, levaram o Ministério da Agricultura a elevar sua estimativa para o valor bruto da produção (VBP) agropecuária do país em 2019.
 
Segundo levantamento recém-concluído, a Pasta passou a prever o VBP total em R$ 588,8 bilhões, R$ 15,8 bilhões a mais que o projetado em março e montante 0,8% superior ao calculado para 2018. É o primeiro levantamento sobre 2019 que sinaliza aumento nessa comparação anual.
 
E esse avanço virá apesar da piora apontada para a soja, carro-chefe do agronegócio brasileiro. Segundo o ministério, o VBP do grão deverá atingir R$ 128 bilhões neste ano (mesmo patamar previsto em março), uma queda de 12,2% em relação ao recorde histórico de 2018.
 
Pesam para essa redução as previsões de queda da colheita nesta safra 2018/19 e a tendência de baixa de preços, em parte derivada da confortável relação global entre oferta e demanda em tempos de redução das importações chinesas.
 
Mas para o VBP do milho a projeção do ministério passou a ser de R$ 56,8 bilhões, R$ 1,6 bilhão a mais que o previsto em março e montante agora 17,7% superior ao de 2018, sustentando pela recuperação do volume da colheita da segunda safra.
 
No caso da cana, a Pasta também ajustou sua estimativa para cima e passou a prever VBP de R$ 58,5 bilhões em 2019, 1,7% acima do montante projetado em março -- que, se confirmado, ainda será 6,3% menor que o do ano passado.
 
Entre os 21 produtos agrícolas que fazem parte do levantamento, vale destacar, ainda as altas na comparação com 2018 previstas para algodão (15,8%, para R$ 40,3 bilhões), laranja (12,5%, para R$ 14,4 bilhões) e banana (11,7%, para R$ 11,6 bilhões), além das baixas projetadas para café (19,6%, para R$ 20,5 bilhões) e trigo (2%, para R$ 4,4 bilhões).
 
Para as cinco principais cadeias da pecuária, o Ministério da Agricultura elevou sua estimativa para o VBP conjunto para R$ 196,4 bilhões, R$ 2,4 bilhões a mais que o previsto em março e montante 2,6% superior ao de 2018. Pesaram para o ajuste positivo melhores perspectivas para exportação e preços de carnes.
 
O destaque positivo é a recuperação prevista para o frango, cujo VBP foi elevado para R$ 60,2 bilhões, 10,5% mais que no ano passado, mas também há aumento projetado para os bovinos (1,5%, para R$ 79,7 bilhões). Há quedas projetados para leite (2,6%, para R$ 32,1 bilhões), suínos (0,9%, para R$ 14,1 bilhões e ovos (8,2%, para R$ 10,3 bilhões).
 
Fonte: Valor | 7
Impresso em: 24/06/2019 às 06:01

ACCS - Associação Catarinense de Criadores de Suínos