ACCS - Associação Catarinense de Criadores de Suínos

Notícias


Governo teme que suspensão de frigoríficos pela China seja 'pessoal'

Fontes do Planalto temem retaliação após intenção do Itamaraty de banir empresas da China do leilão da tecnologia de 5G

01/07/2020 às 08h58


O governo brasileiro teme mais suspensões de frigoríficos pela China, além das três unidades que já tiveram as exportações barradas por Pequim diante do endurecimento das restrições sanitárias à importação de alimentos no país.
 
Segundo o Valor apurou, mais duas plantas devem ser suspensas pela China, que ampliou o número de pedidos de informações à Brasília sobre os casos de contaminação de funcionários em fábricas do segmento. Além de estabelecimentos de carnes bovina e de frango, os chineses também fizeram questionamentos sobre plantas de abate de suínos de empresas de todos os portes.
 
Antes das primeiras suspensões, 102 frigoríficos do Brasil estavam habilitados a exportar à China, principal destino dos embarques nacionais. Ainda que o número de plantas suspensas seja pequeno até o momento, Brasília busca entender quais os critérios técnicos que vêm sendo usados por Pequim para embargar as plantas, mesmo que de forma temporária.
 
Entre os frigoríficos suspensos estão as unidades mato-grossenses de abate de bovinos de Várzea Grande, da Marfrig, e de Rondonópolis, que é da Agra (Grupo Alibem). Na indústria avícola, foram suspensas as exportações do frango processado pela Minuano em Lajeado e pela JBS em Passo Fundo - ambas no Rio Grande do Sul.
 
Uma fonte lembra, por exemplo, que nem todos os casos de covid registrados em frigorífico são de funcionários que atuavam na linha de produção. Há colaboradores contaminados que trabalham na área administrativa ou mesmo na segurança das unidades fabris, onde não se tem contato com a produção.

E também ainda paira a dúvida sobre o critério científico usado para as suspensões, uma vez que não há comprovação ou evidências de que o novo coronavírus seja transmitido por meio de alimentos in natura ou processados.
 
O governo brasileiro sabe que a ação da China é um movimento global, já que embargos vêm sendo impostos também a empresas de Reino Unido, Holanda, Estados Unidos e Canadá.
 
Para alguns observadores, há uma percepção de que ruídos recentes tornaram a relação bilateral mais delicada, como ofensas a chineses por integrantes do governo Bolsonaro e a intenção do Itamaraty de banir empresas da China do leilão da tecnologia de 5G no Brasil. “A relação era excelente. Agora, está apenas normal”, diz uma fonte.

Fonte: Valor



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Fique tranquilo que ele não será exibido junto ao comentário.







Veja Também









Parceiros

SINCOL S/A INDUSTRIA E COMÉRCIO
(49) 3561-5000
(49) 98809-7488
TOPGEN
(43)3535-1432
SICOOB CREDIAUC
49 34411300
EQUITTEC
(54) 3442-5666
AGROCERES PIC - GENÉTICA DE SUÍNOS
(19) 3526-8580
DB GENÉTICA SUÍNA
(34) 3818-2500
G&S AGRO INFORMÁTICA
49 3566-4381
Sky Sollaris
(49) 3442-0072
(49) 99912-8000
COASC
49 3442 6158
49 8835 0275
MAGNANI - IMPLEMENTOS PARA SUINOCULTURA
49 3452 2266

Newsletter

Fique por dentro das novidades.

Novidades no Whatsapp

 
49 . 3442 0414
Rua do Comércio, nº 655
Centro, Concórdia / SC
89700-089

Atendimento:
Segunda à quinta: 07h30 às 12h e 13h30 às 18h.
Sexta-feira: 7h30 às 12h e 13h30 às 17h