ACCS - Associação Catarinense de Criadores de Suínos

Notícias


Exportadores de aves e suínos promovem maior ação de imagem já realizada na Coreia do Sul

Ao todo, são 362 telas espalhadas pelas 17 mais movimentadas estações de metrô e terminais de ônibus da capital sul-coreana

08/07/2021 às 08h59


Os exportadores de aves e de suínos colocaram em curso, até o dia 28 de julho, uma grande campanha de imagem na Coreia do Sul, exaltando atributos das carnes de aves e de suínos made in Brazil. De acordo com informações da Embaixada Brasileira em Seul, esta é a maior ação de imagem já realizada para produtos brasileiros no mercado sul-coreano.
 
Ao todo, são 362 telas espalhadas pelas 17 mais movimentadas estações de metrô e terminais de ônibus da capital sul-coreana – é o caso da famosa Gangnam Station – bairro conhecido pelo clipe viral Gangnam Style, de Psy.
 
A ação é realizada pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), com o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e da Embaixada Brasileira em Seul.
 
Além da comunicação visual, a estratégia da campanha inclui impulsionamento em Facebook e Instagram, direcionada para a população de Seul – interagindo o público virtual com as ações físicas.
 
“A interação virtual com as comunicações instaladas nas estações de trem e ônibus buscará integrar o público às nossas plataformas virtuais, reforçando os atributos que diferenciam nossos produtos no mercado internacional. Já somos líderes isolados entre os exportadores de carne de frango para este mercado, e agora queremos reforçar, também, nossa posição em carne suína”, analisa a gerente de marketing da ABPA, Isis Sardella.
 
A importância do mercado sul-coreano – O Brasil já é consolidado como principal fornecedor externo de carne avícola para as gôndolas sul-coreanas, representando cerca de 80% de tudo o que é importado pelo país asiático. Em volume, isto representa um total de 127,4 mil toneladas de produtos avícolas brasileiros em 2020, gerando receita de US$ 196,6 milhões. A Coreia do Sul é a 8° maior importadora de carne de frango do Brasil.
 
No caso de suínos, há um importante potencial a ser explorado. Com 570 mil toneladas importadas em 2020, a Coreia do Sul é o atual quarto principal destino do mercado internacional de carne suína – atrás, apenas, de China, Japão e México. O Brasil ainda possui baixa participação neste mercado, com apenas 5 mil toneladas embarcadas no ano passado, porém com grande perspectiva de crescimento.
 
Há, entretanto, boas expectativas com relação ao futuro deste mercado para o Brasil. Hoje, somente Santa Catarina pode embarcar produtos para a Coreia do Sul, graças ao status de livre de aftosa sem vacinação – uma exigência das autoridades sul-coreanas. Com a recente inclusão do Rio Grande do Sul e Paraná – respectivamente, segundo e terceiro maiores exportadores de carne suína do Brasil – entre as áreas livres da enfermidade sem vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), espera-se que, em breve, as vendas para o mercado asiático ganhem novo impulso.
 
“Temos boas expectativas quanto ao breve aceite das autoridades da Coreia do Sul sobre este novo status dos territórios gaúcho e paranaense. Os exportadores brasileiros construíram um relacionamento sólido com a Coreia do Sul e, exatamente por isso, estamos investindo tantos esforços de imagem para reforçar, ainda mais, a percepção de qualidade do produto brasileiro junto a este mercado”, avalia Ricardo Santin, presidente da ABPA.
 
SOBRE AS MARCAS SETORIAIS
 
Os Projetos Setoriais Brazilian Chicken, Brazilian Egg, Brazilian Breeders e Brazilian Pork são mantidos pela ABPA em parceria com a Apex-Brasil com o objetivo de promover junto ao mercado internacional as carnes de frangos, de suínos, ovos e material genético produzidos no Brasil.  Por meio da participação em feiras, realização de workshops e outras ações especiais de promoção comercial, os projetos valorizam atributos destes setores produtivos – como a qualidade, o status sanitário e a sustentabilidade da produção – e valorizam as marcas internacionais dos produtos, fomentando novos negócios para os exportadores brasileiros.  Cerca de 45 empresas participam dos projetos atualmente. Informações sobre como fazer parte dos projetos setoriais podem ser obtidas pelo e-mail Isis.sardella@abpa-br.org.
 
SOBRE O MAPA NA COREIA DO SUL
 
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) por meio da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais (SCRI/MAPA) em parceria com o MRE mantém desde 2018 um Adido Agrícola na Embaixada do Brasil em Seul, buscando fortalecer e ampliar as exportações do agronegócio para a Coreia do Sul. A Adidância Agrícola em Seul conta com um Adido Agrícola e um assistente, ambos custeados pelo MAPA. O agronegócio brasileiro exportou cerca de US$ 2,2 bilhões para a Coreia em 2020, o que colocou o país como 5º destino das exportações atrás apenas de China, UE-27, Estados Unidos e Japão. Em 2017, antes da Adidância Agrícola, a Coreia estava na 10a posição atrás da China, UE-27, Estados Unidos, Japão, Hong Kong, Irã, Rússia, Arabia Saudita e Egito (AGROSTAT).

Fonte: ABPA



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Fique tranquilo que ele não será exibido junto ao comentário.







Veja Também









Parceiros

G&S AGRO INFORMÁTICA
49 3566-4381
MAGNANI - IMPLEMENTOS PARA SUINOCULTURA
49 3452 2266
COASC
49 3442 6158
49 8835 0275
TOPGEN
(43)3535-1432
SICOOB CREDIAUC
49 34411300
Sky Sollaris
(49) 3442-0072
(49) 99912-8000
EQUITTEC
(54) 3442-5666
DB GENÉTICA SUÍNA
(34) 3818-2500
AGROCOASC
(49) 3442-6158
AGROCERES PIC - GENÉTICA DE SUÍNOS
(19) 3526-8580

Newsletter

Fique por dentro das novidades.

Novidades no Whatsapp